No campo da sedução

Tinha eu seis, sete anos, morava com meus pais em um sítio, no município de Divinolândia, a cerca de 270 quilômetros de São Paulo. A bem da verdade, a cidade só passou a existir oficialmente dois anos após o meu nascimento. Antes…

Leia maisNo campo da sedução

Eu e meu amigo Chuck

O camarada vai passear no Rio de Janeiro, destino nº 1 das celebridades, e dá de cara com um super-herói em apuros. Socorre-o e ele, agradecido, encontra uma forma inusitada de retribuir. Arrout! Não sei se já contei pra vocês,…

Leia maisEu e meu amigo Chuck

Apocalipse now

Quando cursei o catecismo para fazer a primeira comunhão, mais de remotos cinquenta anos atrás, acostumei-me à ideia de que Deus acabaria com o mundo de uma só tacada. De tanto ouvir a alegoria do Juízo Final, dos Quatro Cavaleiros…

Leia maisApocalipse now

É com Xota

Nós moramos num lugar chamado Pinhal Alto, no interior de Nova Petrópolis, na serra gaúcha. Foi colonizado por alemães em meados do século XIX. Até a Segunda Guerra, o nome era Tannenwald (Mata de Pinheiros) e foi aportuguesado por motivos…

Leia maisÉ com Xota

O céu é seu

Nas horas difíceis, você é daqueles que olham para o céu ou dos que esperam que o céu olhe para você? Se você é dos que olham para o céu, é bom saber que está olhando para o passado. A…

Leia maisO céu é seu

História sem Fim

O velho Matias adorava contar histórias, mas tinha um problema: era gago. Isso não impedia de ir todos os domingos à pracinha, esperar alguém sentar-se ao lado, puxar conversa e lhe contar as últimas.  Um dia, aconteceu o inesperado. Cumprimentou…

Leia maisHistória sem Fim

Memórias do cárcere

Minha mãe tinha um sistema definitivo para acabar com algum princípio de briga ou punir algum filho respondão ou malcriado: punha-o de castigo no banheiro. Era o tipo de condenação autoexecutável: ao ouvir a sentença, o ‘réu’ dirigia-se por conta própria à…

Leia maisMemórias do cárcere